DE QUANDO SE TOMA UM PÉ NA BUNDA E OUTROS ASSUNTOS MAIS IMPORTANTES

por Kritz

Eu acho que deveria estar triste porque, enfim, fui mandada pro chuveiro mais cedo.
Mas, por mais estranho que isso possa parecer, eu não estou.
Talvez porque eu seja uma completa idiota que quero viver do meu jeito, mas por algum motivo esquisito qualquer, excepcionalmente, não vinha conseguindo.
E agora Pseudo me deixou fazer isso sem levar a culpa.
Estou com a cabeça muito ocupada com as providências práticas a serem tomadas: voltar a ser single no orkut, tirar as fotos da parede do quarto, colocar o nome dele na boca do sapo pra uma macumba poderosa e coisas desse quilate…
No mais, é isso.
Não fui expulsa da faculdade. Deus é mesmo um cara bacana comigo, que faz por mim coisas impossíveis mesmo quando eu não mereço. Que escolheu um espermatozóide perfeito do meu pai e um óvulo certinho da minha mãe. E me fez nascer de cabelos lisos. (Ok, nem tanto – abafa o caso.)
Obrigada Lelê (e sua respectiva mâmis, D. Rose), que pensou positivo, me contou segredos e amenidades pra distrair, deixou um recado no meu celular no dia do meu aniversário que me fez chorar e fez um escândalo no MSN quando soube que eu estava livre do rebaixamento jubilamento.
Obrigada Gian, que rezou que eu sei, que falou pra eu ficar tranqüila que tudo ia dar certo e que levantou a plaquinha de eu “já sabia” quando eu dei a notícia.
Obrigada Júlio, que sempre perguntava “e aí”? e que está quase deixando de ser ateu.
Obrigada Moskito que me ensina emoticons novos sempre que a gente se fala no MSN, que me dá dicas de saúde e beleza e de como ser a pessoa que manda nos relacionamentos, que tem o pé (e a respectiva sandália havaiana) mais feio de toda a via Láctea, mas que fez \o/ quando eu dei a notícia. (seja lá o que signifique essa bagaça de sinal.)
Se você torceu, rezou, fez figa, macumba, prece ou simplesmente não desejou que eu me fodesse, meus mais sinceros agradecimentos.
Sem mais.

Anúncios