COELHINHO DA PÁSCOA, QUE TRAZES PRA MIM?

por Kritz

Ontem, depois que eu saí do trabalho, passei no dráive trú do Mc Donalds, comprei uma mc oferta do Big Mac e fui ver caras gatinhos correndo e suando e fazendo exercícios abdominais, enquanto seus pit-bulls e Bull Terriês ficam amarrados no ferro da paralela do circuito inteligente do Parque da Cidade.
Foi quando me deu um insight de que até hoje não cumpri a minha promessa de ano novo: voltar pra academia. É bem verdade que não parei de beber também, mas isso não vem ao caso.
Mal tive tempo de tentar esquecer o fiasco que foi o meu reveillon e perder os quilos extras adquiridos nas festas de adeus 2004 (e os outros extras adquiridos antes) e já é páscoa, meu Deus, páscoa, uma epocazinha vagabunda e engordativa em que minha vó faz bacalhau pra toda a filharada, netaiada e agregados e minha mãe me obriga a levá-la na via sacra da Ermida.
Lojas Americanas lotadas de gente que despedaça os ovos de chocolate de tanto apertá-los e, como super-pai tem claustrofobia, dautonismo e uma filha-gente-boa-consumista, adivinha quem enfrenta a geral do Maracanã em dia de Fla x Flu na qual se transforma as Lojas Americanas pra comprar ovos de páscoas pra sobrinhos, afilhados, mãe, empregada e porteiro?
Quem, quem, quem?

Eu sou da opinião de que Jesus podia parar com essa brincadeira sem graça de nascer, morrer e ressuscitar em menos de 6 meses, porque não há bolso que agüente, vâmo combiná!

Anúncios