por Kritz

(continuando…)

A Chegada – parte III

Calor. Era quase meia-noite e fazia um calor daqueles de borrar qualquer maquiagem resistente á água. Carro lotado de garotas porpurinadas cantando Calypso. Dois caras, namorados de amigas, resistiam bravamente às garotas à bordo, talvez tentando se lembrar da escalação da seleção da copa de 70 ou de quando a mulherada do BBB sairia da Playboy, pra abstrair nossos papos fúteis e rosas.
A parte engraçada realmente é ver as amigas solteiras tentando fingir que não são como realmente são, pra não queimar o filme das amigas casadas. Sem comentários.

O Tão Sonhado Camarote

Só Deus sabe quão grande foi seu esforço pra vender bastante batom da Avon e bijouteria folheada pra garantir a grana pro camarote, onde ficam as pessoas que fingem ser bonitas, ricas e famosas, pulando na frente de qualquer flash ou microfone (que não eram poucos) pra garantir uma brechinha na filmagem do evento axezeiro.
Eu não sei você, mas quando eu morrer o meu céu vai ser muito parecido com aquele camarote: homens bonitos mesmo sem maquiagem, de camiseta azul, mulheres de abadás rosas reformados nos mais diversos modelos que se possa imaginar, produzidééééérrimas e que, por isso mesmo viram abóbora à meia-noite. Cerveja que já vem com isolante de isopor. Vodka Orloff. Suco Vale. Caldo de todos os sabores pra curar ressaca e salgadinhos quentinhos e chiques. Amigas mortas de fome que avançam no garçom pra garantir comida pra todo mundo. Lugar coberto pra não estragar a escovinha de ninguém. DJ tocando trance e afins enquanto não começava o axé baixaria. Som da melhor qualidade. Você não encontra seu ex nem ninguém daquele grupo de pessoas que te incomodam/atingem/odeiam, porque no seu céu só entra gente de quem você gosta.
O único detalhe é que no MEU céu vai rolar skol e não Nova Skin. E todos os quartos terão ventilador/ar condicionado e o símbolo da páscoa será a joaninha e não o coelho.

ABRE PARÊNTESE

Comer carne na sexta-feira santa dá azar. Porque dá, ué!

FECHA PARÊNTESE

Era Bom Demais pra Ser Verdade

Ok. O camarote era coberto e o povo da pista poderia derreter que você não iria dar a mínima pr’aquela chuvarada toda. Desde que, é claro, os carros do povo do camarote não estivessem num poeirão que vira lama da braba quando em contato com a água, te obrigando, juntamente com suas amigas porpurinadas, a empurrar o carro.
Momentos como esses me fazem arrepender amargamente de não ter uma máquina fotográfica digital. A prova d’água, claro.

Era Bom Demais pra Ser Verdade – parte II

Um chalé com 12 pessoas espaçosas é um chalé lotado. Um chalé com 12 pessoas espaçosas, bêbadas e elameadas é um chalé imundo. Assim como os lençóis das camas e colchões das referidas pessoas, porque bêbados preferem dormir logo do que dormir limpos.
Você já está no terceiro sono, roncando dentro do seu pijama lilás, quando surge em cima de você, assim, do nada, sem nenhum aviso prévio, Pseudo, embreagado de vodka, falando coisinhas picantes e obscenas, se declarando e pedindo perdão, chances e etc e tal, fazendo juras de amor e de sexo de qualidade, de que tudo seria diferente, que ele deixaria de arrotar na mesa, de que deixaria de dormir no cinema, que pararia de fuçar seu celular, que leria pelo menos um livro a cada cinco anos, blábláblá, mimimimi.

ABRE PARÊNTESE

– 12 pessoas, 2 quartos pequenos -> quartos entupidos;
– TODAS AS PESSOAS DO QUARTO sabiam que se tratava do seu ex namorado;
– TODAS AS PESSOAS DO QUARTO estavam com pena do seu ex-namorado;
– TODAS AS PESSOAS DO QUARTO fingiram (muito mal) que estavam dormindo e não estavam vendo/ouvindo toda a baixaria. Mas estavam.

FECHA PARÊNTESE

No outro dia, todo mundo com cara de paisagem. Inclusive você mesma. Sai do quarto e qual foi a primeira pessoa que encontra? Qual, qual?
E eu não quero mais falar sobre isso. Obrigada.

A Volta

O pneu não furou mas fizemos em cinco horas e trinta minutos uma viagem que se faz em três, quatro horas. Meus pés estavam inchados e não cabiam em nenhuma das minhas sandálias. Eu queria matar uma meia dúzia de pessoas. Algumas outras eu só queria xingar de palavras bem feias, talvez puxar cabelos. Então eu comprei uma caixa de skol (porque beber skin o fim de semana inteiro, admita, irrita qualquer criatura), bebi a metade, fiz xixi e dormi a viagem toda.
Só queria ir pra minha casa dormir abraçada com a minha joana nova.
E fim.

Anúncios