EU ODEIO A ARGENTINA

por Kritz

Eu acho que nunca felicitei ninguém pelo aniversário aqui. Na verdade eu odeio o orkut justamente porque ele acabou com os contatos, com os telefonemas, com pessoas bravas com a gente porque esquecemos os aniversários delas, já que o orkut não deixa você esquecer de absolutamente nada, até daquilo que você gostaria de esquecer mas, enfim, esse é outro assunto…
Por isso mesmo não usaria um blog pra fazê-lo. Não usaria num caso comum, mas esse é especial.
Na verdade, pelo tanto que eu odeio o orkut (odeio mesmo e só estou lá porque sou uma garota-fraca-que-cede-a-modismos-e-não-consegue-ficar-out-das-tendências-pop) eu me prometi que não ia escrever testemunho nenhum pra ela. Não porque nos testemunhos as pessoas sempre escrevam as mesmas coisas, mas sim porque as coisas que tenho a dizer a respeito de tudo que vivemos não podem estar assim, publicadas num orkut qualquer que tudo vê e manda nossa vida pra base de dados do Google.
Mas não tive pra onde correr, porque ela é minha irmã de alma. É daquelas que de tão parecida comigo que é, faz as pessoas nos confundirem.. Ela é uma das poucas pessoas que eu conheço que sabe diferenciar a Kriscia que tem escrúpulos da Kriscia que finge que tem. Sabe quando eu quero algo diferente do que estou dizendo que quero, sabe puxar minha orelha e me obrigar a ficar até o final. E a gente se olha e já entende toda a mutreta e depois fica rindo do quanto as pessoas são bobas e não descobrem nossas armações. Me ensinou que ‘eu posso até empatar, mas perder, jamais’, e por isso me obriga a tomar vodka logo cedo, depois de uma noite toda correndo atrás de um trio elétrico. Sabe que eu não consigo fazer xixi com barulho em volta, porque sou uma menina chique e de classe. Já segurou meu cabelo pra eu vomitar e, não importa o motivo, se eu odeio alguém ela também odeia, simplesmente porque é minha parceira, brother, camarada. Me empresta roupas, me empresta a mãe dela, me empresta um pouco de emoção e loucura, mesmo quando eu insisto em manter o pé no chão e ser politicamente correta. Quando a coisa fica feia e todo mundo me olha esperando pra ver como eu vou sair do aperto, ela olha pra mim e diz ‘vai, amiga, só tem eu aqui!’ Faz o melhor fricassê de frango que já se teve notícia na via Láctea (junto com a minha torta de bombom, é claro!) e se Deus quiser a nossa nave mãe virá nos buscar em breve, quando então voltaremos pro nosso planeta natal e seremos felizes pra sempre, num lugar em que ser sincero não é coisa rara, chamar as pessoas pelo nome não causa espanto e sempre agir com o outro como gostaríamos que o outro agisse com a gente seja algo possível e real.
FELIZ ANIVERSÁRIO, LORENA!

Anúncios