A SEGUIR, UM POST GRANDE!¹

por Kritz

¹Depois não diga que eu não avisei.

Agora que eu namoro, namoro mesmo, do verbo ir no cinema e apresentar pro pápis, (além de ter que ouvir o irmão me sacanear porque eu finalmente desencalhei e faço tudo quanto é programa com Namorado, desde acampamento a show de música baiana) eu, obviamente, comemoro aniversário de namoro*.
Isso é uma coisa muito complexa no mundo dos relacionamentos e que eu tento simplificar ao máximo, e mesmo assim fica todo mundo me chamando de chata.
Senão, vejamos.

Você beijou o cara. Não está namorando, gente, claro que não. Hoje em dia, beijo é coisa boba, já vi gente ganhar $50 pra beijar a Lacraia. A Lacraia, sabe? “vai, Lacraia, vai Lacraia…” Então. E nem por isso aquele carioca lá tá namorando a Lacraia. Pelo menos, pro bem dele, eu espero que não.

Vê o cara dia sim dia não. Não tá namorando. Vejo meu pai dia sim dia não e não namoro com ele. Acho que vejo meu pai até menos que isso. O que talvez signifique que ele não é mais meu pai. Enfim, divago.

Vê o cara todo dia. Nããão, né namoro, não. Mas fique preocupada se, por um acaso o encontro diário furar, você ficar mais murcha do que girassol no inverno.

Viaja com o cara. Menina pra frente, você, heim? Mas né namoro, não. Nuances dos relacionamentos modernos permitem esse tipo de, hum, digamos, extravagâncias.
O cara te dar uma almofada de joaninha com a qual você sonhou dias e dias merece uma menção honrosa, eu concordo, mas não é namoro.

Você conhece os amigos legais do cara. Os chatos também. Eles te contam segredos. Os segredos deles e do cara também. Dizem que você é mais isso, ou aquilo, ou aquilo outro, que a ex. Que vocês combinam. Que você faz bem pra ele. Que a pele e o humor dele estão ótimos desde que vocês se conheceram. Nããão, gente, né namoro, não. Talvez você seja bonitinha o suficiente pra ele não querer te esconder. O que, eu concordo, é melhor que nada.

Dizem que sempre chega a hora que a gente fica esperando que vire namoro.
Eu não esperei não, juro. Simplesmente não ia fingir que achava que era namoro. Porque não era, ué!
Ah, mas ele te trata como namorada… Problema dele. Muita gente chama o Severino Cavalcante de Vossa Excelência e o cara não passa de um energúmeno. (posso ser processada por isso?) Muito cara já me tratou como princesa (porque queria me comer, claaaaaro!) e eu tô mais pra plebéia mesmo.
Agora, se o cara encher a cara de suco gummy, te puxar pela mão e dizer que sabe o quanto você é chata, encrenqueira e faz questão de protocolos que toda a via Láctea considera dispensáveis e perguntar se você quer ser namorada dele, aí sim, você está namorando.
(desde que você responda sim e na seqüência rolem fogos de artifício, lógico.)
E é aqui que eu volto ao início. Porque quando tem pedido, assinatura de contrato e você não precisa mais se esconder pra encontrar o cara, nem ficar ajudando ele a inventar desculpa pra ex, (que na época não era ex mas, um dia, com calma e coragem, eu conto essa história direitinho) tem o tão falado dia de aniversário de namoro.
Por isso eu digo: Tem pedido é namoro. Não tem, não é. Tão simples, gente…

*Tá, eu sei, trinta dias não é aniversário, um mês não é um ano. Mas mesmo assim eu tenho muita coisa pra comemorar.
Pra ser honesta, se eu fosse você teria inveja de mim.
[tirando onda] Falando numa boa, claro. [/tirando onda]

Anúncios