DA SÉRIE: TEM COISAS QUE SÓ ACONTECEM COMIGO

por Kritz

Depois de quarenta dias, coloquei o tornozelo rachado pra pisar na embreagem e fui pro salão.
Cheguei mancando, claro.
Na sala de espera tinha um garotinho de, no máximo, cinco anos, com aquela cara de “sou a encarnação do capeta”, olhando fixadamente pro meu pé dentro de uma bota ortopédica que parece a armadura do robocop.
Olhou, olhou, examinou.

– Oi.
– Oi, encarnação do capeta, qual seu nome? (ele me deixou no vácuo, claro, crianças deixam a gente no vácuo.)
– Fez dodói?
– Foi.
– Ta vendo? Avisei que ia cair, não me obedece!
– ?

Nem se fosse meu filho teria uma resposta tão boa na ponta da língua.

Anúncios