Tá Pensando o Quê?

Mês: janeiro, 2006

DECADÊNCIA

Não bastasse dormir tarde e brigar com a televisão durante o BBB, essa noite sonhei que estava confinada na casa dos bróderes.

É lamentável.

Anúncios

SE É QUE VOCÊ ME ENTENDE

Eu tenho que dizer que agora entendo perfeitamente aquelas criaturas insanas que tatuam o nome do namorado na virilha com aquela letra charmosa de calígrafo e depilam o contorno em forma de coração.
Por ele eu tomaria banho de chuva logo depois de ter feito escovinha e lavaria louça depois de ter pintado a unha.
Amarradona.
Sério.

EU SOU LEGAL

Quem-me-a-do-ra-e-vai-me-dar-um-ême-pê-três-play-er-de-qui-nhen-tos-e-do-ze-megas-de-a-ni-ver-sá-rio-de-vin-te-e-cin-co-a-nos-põe-o-de-do-a-qui-que-já-vai-fe-char!

EU TENTEI TER CLASSE, JURO!

Quero pedir encarecidamente que cada uma das ex-namoradas despeitadas, enrustidas e mal amadas que visitam este blog, na ordem de mediocridade, cliquem no xizinho que se encontra no canto superior desta tela e, na sequência, vão tomar bem no meio do olho dos seus respectivos cus, repetidamente.
Sem mais.

APOIO MORAL

– Meu Deus, eu tô muito gorda!
– Pense pelo lado bom, você já esteve BEM pior.

PARA 2006 EU QUERO…

FOCO. Todo ser humano precisa de foco. Esse ano, que tenho agenda (e tô usando, pasmem!) listei as coisas que vão acontecer pra mim em 2006.

– emagrecer 10 quilos. 8 quilos já tá bom;
– trocar de carro;
– me formar;
– juntar pelo menos 30% do meu salário por mês;
– voltar pro curso de Inglês;
– jogar fora tudo que me lembre Unb;
– fazer ao menos uma faxina nas roupas;
– fazer ao menos uma faxina nos sapatos;
– escolher uma pós-graduação pra fazer;
– fazer atividade física virar rotina;
– falar menos palavrão;
– fazer algum trabalho voluntário regular;
– estabelecer um dia e hora pro Evangelho no Lar. E cumprir;
– tomar pílula direitinho;
– me comportar de forma dermatologicamente correta;
– não tomar cerveja, nem chopp;
– selecionar melhor as coisas que me irritam;
– selecionar melhor as coisas que me chateiam;
– não deixar nada pra última hora;
– cumprir prazos;
– pensar mais antes de falar, mas não deixar de falar;
– resistir à tentação de voltar pro orkut;
– respirar fundo antes de mandar alguém tomar no cu;
– ter mais compaixão com as pessoas;
– estar mais próxima dos meus primos e tios;
– lembrar do aniversário das pessoas. E ligar pra elas;
– cuidar dos meus amigos;
– parar de achar que TODO MUNDO é amigo;
– manter distância de camas elásticas.

E vâmo que vâmo.

NA GINECOLOGISTA

– Quantos anos?
– 24.
– Quantos parceiros nos últimos 36 meses?
– 1.
– Aqui você não precisa mentir!
– ¬¬

ENTÃO

Daqui a 14 dias eu completo 25 anos.
14 dias é tempo suficiente pra você, caro leitor amigo que mora lá em Cruzeiro do Sul, no Acre, comprar presente pra mim e mandar lá pra minha casa, por sedex.
Não sabe o que comprar?
Relaxa, eu já fiz uma pequena lista.
Senão, vejamos:

– cd quíntuplo + DVD do Fábio Jr
(porque eu sou brega e nunca neguei isso)
– cd acústico do Roupa Nova
(porque Roupa Nova é mó massa, ué!)
– cd ao vivo da Ana Carolina e Seu Jorge
(porque eu gosto de coisas alternativas, principalmente quando elas caem no gosto pop)
– argola grande de strass
(porque eu sou brega mas sei ser patricinha)
– calça jeans escura de strech
(porque sou eclética o suficiente pra ser brega, patricinha e poposuda)
– perfume 212 de Carolina Herrera
(e sou chique, vocês sabem)
– piercing de pedrinha pra minha orelha
(embora siga certas modas de adolescente)
– óculos escuro Arnette
(sou mala)
– lingeries, muitas lingeries
(e mal intencionada, SEMPRE)
– vestidos, muitos vestidos
(porque sou mulé, ué)
– saias, muitas saias
(mulezinha total)
– brincos, muitos brincos
(mulé como qualquer outra, c.q.d.)
– secador de cabelo de marca boa e de pelo menos 2000 watts
(e não tenho dinheiro pra escova progressiva. Ainda)
– biquíni pink cortininha/de amarrar
(e vou pra praia no carnaval, ué! Pink combina com minha cor)
– canga
(cangas cabem na bolsa, cadeiras não)
– Óleo de pitanga para o corpo da Natura
(porque amo minha pele e sou fresca)
– Óleo de Jaborandi para o corpo da Natura
(muito fresca)
– Qualquer óleo para o corpo da Natura, enfim
(fresquíssima)

Por enquanto é só.
Sem mais para o momento, obrigada.

DA SÉRIE: EU TENHO UM NAMORADO SUTIL

– Eu queria ter me inscrito no BBB6.
– Você nunca ganharia! Iria deixar todo mundo complexado com suas conversas, isso sim!

É um doce, esse Namorado, foi o que eu sempre disse.

ALGO ME DIZ QUE EU TEREI DE APAGAR ESSE POST

Sogras, assim como cunhados e herpes, são coisas que não importa quanto tempo passe, nunca vão sarar. Existem ex-namorados, ex-peguetes, ex-ficantes, ex-pais, mas não existem ex-cunhados.
Nem ex-sogras.
Nem alguém na face da terra que tenha se curado de herpes.
Pois então.
Semana que vem é aniversário do primeiro-namorado.
Tudo seria normal, aceitável, amistosamente social e eu pegaria o meu telefone e ligaria pro celular dele (ou pro orelhão da aldeia pataxó cultivadora da erva catch-a-fire na qual ele decidiu morar depois de tanto chá de cogumelo, cada um na sua!) e diria feliz aniversário, que o espírito santo te guie pra sempre pra longe de névoas brancas que saem de trás do bambuzal, amém e pronto.
Seguiríamos nossas rotinas de nos ignorarmos mutuamente no MSN e usarmos avatares provocativos, ou então de lavarmos a roupa suja e falarmos sobre nossas pegações extra-namoro, ciúmes guardados a sete chaves, ataques histéricos, tapas na cara no ponto de ônibus e sobre aquele dia que você entrou no email dele e respondeu as mensagens desaforadas das vagabundas, porque você não tem classe e sabe descer das tamancas sem ser descoberta jamais, c.q.d.
Tudo seria normal, era o que eu dizia, se não fosse a sogra em questão, que quer te obrigar a comparecer na festa surpresa pro dito-cujo no salão de festa da menina da maior bunda da Asa Norte e da qual você já teve ódio mortal e ensurdecedor e cegador e enlouquecedor e assassino, não necessariamente nesta ordem, claro.
*Leia-se ciúme, inveja e dor de cotovelo em doses cavalares.*
Tudo seria normal, era o que eu dizia que dizia, se a sogra em questão não achasse que é aceitável eu, Kritz – a Lenda, adentrar o recinto de mão dada com Namorado, ambos cercados por todas aquelas meninas que já desejaram a minha morte e vice-versa reciprocamente, com uma bandeira branca na mão e clima de tô por cima e vim te mostrar quão lindo e sóbrio é meu Namorado atual, obrigada.
Maaaaaaas como nem só de canabis sativa vive o homem, eis que surge daquela cabeça cheia de neurônios mancos um “desencana, minha mãe tá viajandona, tá ligado?”
Ok, obrigada.

Legalize já e falou.

%d blogueiros gostam disto: