TUDO AO MESMO TEMPO AGORA

por Kritz

No dia do meu aniversário um cara na rua disse que eu era idêntica a Mariana do BBB e eu fiquei me achando, foi lindo.
Ganhei presentes e flores e fiquei bêbada.
Tá, só as flores e os presentes são novidade, eu sei, abafa o caso.
Emagreci 4 quilos desde que tirei a bagaça do gesso, porque anfetamina é vida.
De vez em quando eu sinto vontade de me matar, literalmente, e me lembro da cara do médico dizendo você se sentirá num estado depressivo leve nos primeiros dias, nada sério.
Me lembrem de escrever isso na carta de despedida, no dia que o anti-depressivo fizer efeito o suficiente pra me encorajar a pular de alguma torre.
Hoje é a minha colação de grau e o que deveria ser motivo de comemoração não é o de fato já que a Unb me ama e vai fazer eu ir pra lá todo santo dia até o fim de março, o que inclui as segundas-feiras, 8 da madrugada.
Mas como eu tenho amigos baderneiros, daqueles pagodeiros que tomam cachaça no boteco e cantam Rick e Renner, coisa linda de se ver, vamos todos pra uma churrascaria beira de estrada comer e beber tudo a cinconto.
Porque a vida é alegria.
Comprei um carro novinho e a minha bunda será a primeira a sentar naquele banco lindo de automóvel total flex que só sentirá o cheiro de álcool, porque a gasolina tá cara o suficiente pra me fazer ficar com vontade de ir morar na Venezuela, onde o combustível custa vinte-centavos-de-real, se é que você me entende.
Ficarei o resto do ano contando as moedas pra não ter meu carro tomado pela concessionária, essas emoções que só quem é pobre com gosto sabe o que é.
No carnaval vou pra praia, e numa casa que caberiam 10 pessoas confortavelmente vão ser entulhadas quase 20, de que forma só Deus sabe.
As negociações para que Namorado não queira sexo ao meio dia no meio da sala onde estarão acampadas mais 752 pessoas começaram desde já, o clima tá tenso.
Na academia penso nas minhas banhas laterais saltando do biquíni naquela praia cheia de surfista gatinho e choro, choro, choro enquanto sofro pra deixar a bunda dura, malhando glúteo naquela posição humilhante amplamente conhecida por todos.
Academia é um troço muito humilhante, lamentável, eu sempre disse.
Pra acabar de completar, tem dois meses que não tomo cerveja e a crise de abstinência às vezes bate forte. Somado ao efeito estressador da anfetamina, tem dias que me sinto um trator, tamanha a minha ignorância no trato com as pessoas, uma beleza.
Como não bastasse todo meu momento “bom dia é o caralho, o que ele tem de bom?”, agora tenho um chefe novo no trabalho.
Num primeiro momento achei que íamos brigar, que eu ia ser demitida, entrar na justiça, ir pro programa do Ratinho e assassiná-lo no final, essas coisas. Agora só acho que vamos brigar qualquer dia e que eu não sossegarei enquanto não mandá-lo tomar no cu.
Porque eu sou uma lady e tenho compaixão pelas pessoas, é o que eu sempre digo.
Peço gentilmente que cada um de vocês, leitores amigos, torçam pra eu não tropeçar no tapete vermelho hoje, nem escorregar e cair de joelhos no tapete vermelho hoje, nem deixar o capelo cair no tapete vermelho hoje, nem pisar na barra da toga e me estatelar no tapete vermelho hoje.
Amém!

Anúncios