DA SÉRIE: BEM AMIGOS!

por Kritz

No fim do mês faz um ano que eu to namorando.
Namorando de ter cunhada, sogra pá e tal.
É uma longa história que eu juro querer contar, mas não posso.
Este é o problema de morar num mundo pequeno: um blog com míseras visitas pode fazer um estrago fenomenal na sua vida quando lido por pessoas de baixo calão.
Também queria poder falar sobre isso, mas não posso por motivos óbvios.
E acho que aí mora o problema principal já amplamente conhecido por todos e carregado daquele tom clichê de “este blog não tem mais razão de ser”.
Essa é uma grande balela, considerando que nenhum blog que se preze tem razão de ser.
A partir do momento que um blog passa a ter razão pra exisitr, muda de endereço e passa a ter um salário gordo pago pelo Terra ou coisa assim.
Odeio quando estou política.
O que quero dizer é que é lóóóóógico que este blog não acabou.
Ele nunca acaba, tipo as ondas do mar. -piada interna, desculpem.-
O que acontece é que o corre-corre do dia-a-dia acaba sugando a gente.
-Ok, mais um clichê nojento.-
Enfim.
É isso.

A novidade que ninguém mais guenta ouvir eu falar é que no fim do mês eu vou ver aquela lua crescente bem grande e baixa láááá do meio do mar, no litoral nordestino.
Quem duvidou da minha finesse agora vai ter que ficar caladinho: eu vou fazer um Cruzeiro pra Fernando de Noronha.
Foi mal.
No trabalho, há duas correntes pro bolão das minhas férias: a primeira aposta que eu vou ficar entalada naquela roupa de mergulho. Ou então tropeçar no fio do botijão de oxigênio e quebrar um braço, uma perna, ou coisa assim. Há uma grande chance.
Desastrada eu? Imagina.
Outra parte aposta que, mesmo após 10 dias no litoral ensolarado eu vou voltar emagrecida e branquela.
Muito sexo e pouco sol, se é que você me entende.
Porque a minha reputação é algo irretocável.
Minha fama barra qualquer Instinto Selvagem, meu filho.
E a propaganda é a alma do negócio.

Anúncios