CONSIDERAÇÕES SEXTA-FEIRÍSTICAS

por Kritz

Obrigada a todos que desejaram que a minha alergia virasse uma pneumonia asmática e eu tivesse uma licença médica de 35 dias.
Não foi dessa vez, minhajênti, não foi dessa vez.
Ontem eu fui na emergência de um hospital particular de pouca confiança, aqui da capital federal.
Juro por nossa senhora da bicicleta amarela que a médica me atendeu em 2 minutos. Mesmo.

ABRE PARÊNTESE
Eu tenho uma mania muito chata que é a de pesquisar tudo sobre a minha condição humana. Então, muito antes de decidir ir ao médico, já sabia que medicamentos poderiam ser receitados pra casos como o meu: a chamada rinite sazonal sem causa identificada. Já tinha enumerado todos os sintomas e me certificado de que naquele dia não estaria no plantão da emergência um médico muito xarope que, da última vez que eu tive uma crise, quis me convencer que a culpa era do meu piercing no nariz.
¬¬
FECHA PARÊNTESE

Me receitou remédios novos e disse que não, eu não precisaria de atestado pra sexta-feira.
Ali, naquela emergência lotada, afundavam todos os meus planos de aproveitar a sexta-feira pra tomar sol na laje e aloirar o cabelo com água oxigenada. (sou povão forever, não tem jeito.)
Mas o fim de semana taí, o que no meu caso não quer dizer absolutamente nada.
Explico-me: Eu tenho uma dívida que, neste momento bate a casa dos dois mil tchules, o que não me permite nenhum plano que inclua sair de casa, porque meu carro não tem gasolina.
Minha sorte é que domingo passa Toy Story e Super Nanny.
A TV aberta é uma delícia.

Anúncios