Tá Pensando o Quê?

Mês: setembro, 2006

VERDADE

Quando eu tinha uns 17 anos eu pensei em ser freira.
Sério.
Fui ver se o convento tinha ar condicionado e se a hóstia era light, se o colchão era ortobom e se eu poderia tomar sol de biquíni nos fins de semana.
Provei alguns hábitos pra ver se eram confortáveis, mas aqueles eram muito compridos e só deveriam ser usados por aquelas freiras velhinhas que precisam esconder as varizes das pernas porque não usaram meias kendall.
Não tenho grandes problemas com fazer várias orações por dia, mas ar condicionado é algo que me faz falta e ficar sem sol me deixa meio triste.
Mas não eram exatamente esses os problemas do convento.
O problema era que lá não tinha homem.
Homem válido, quero dizer. Porque o padre que eventualmente apareceria lá certamente seria uma figura concorrida, pelo motivo que você quiser imaginar, caro leitor amigo.
E simplesmente por esse motivo eu não poderia ser freira.
Sabe?
Mulheres são meio chatas, essa é que é a verdade.
De vez em quando me pego pensando como podem existir lésbicas no mundo. Nada contra as lésbicas, pelamordedeus, o que me intriga é como uma mulé puramente XX consegue agüentar outra mulé puramente XX.
E no convento só haveria mulé. Todas na TPM ao mesmo tempo, por exemplo. Todas casadas com o mesmo Jesus, que até um tempo atrás eu pensava que era o único cara que prestava no mundo, mas pensa comigo: um cara que casa com um convento inteiro não é exatamente o que podemos chamar de monogâmico fiel, por motivos óbvios.
Nada contra Jesus também, que é um cara maneiro.
E pra ter tanta mulé a fim dele, deve ser realmente O CARA.
Enfim, divago.

continua…

Anúncios

PESSOAS RIDÍCULAS DE CADA DIA

gravando

A inveja é uma merda.
Puta que pariu, a inveja é mesmo uma merda, não consigo pensar em nada pior que a inveja, juro por Deus.
Claro que desejar o que é do outro não é bonito, claro que pensar que o outro não merece mas tem, enquanto você merece e não tem é mesquinho, mas não é esse o meu ponto.
Eu acho a inveja uma merda porque é o tipo de sentimento que ninguém admite que sente.
Senão, vejamos.
Se você, caro leitor amigo, está com fome, não se constrange em chegar pra alguém e dizer: “pô, que fome, vamos no BurguerKing que lá aceita meu tíquete refeição?”
Quando você está triste, com aquela cara de cachorro sem dono, e qualquer pessoa ao redor te pergunta o motivo da sua cara de cu, você fica à vontade pra dizer “pois é, menina, hoje estou meio chateada com meu pai, que desligou a chave do chuveiro pra me expulsar do banho, já que lá em casa só tem um banheiro.”
Se você está com raiva, vai pra sua aula de boxe e soca o saco de areia até estourar.
E quando o professor olha pra você com aquela cara de medo, você diz sem rodeios “desculpe, eu imaginei a cara do meu chefe palerma e desci a lenha sem dó. Terei de repor o saco de areia mesmo com o absurdo de mensalidade que pago pra academia?”
Ótimo.
Mas quando você está com inveja, as coisas funcionam de outro jeito. Claro que você não assume, afinal você é chique e evoluída o suficiente pra não ter inveja daquelazinha que tem um cabelo lindo, uma pele linda, que vive sorrindo, é corajosa, firme, inteligente, querida, ganha bem e é feliz na profissão, arrumou um namorado do pinto grande ou te atrapalha na night porque, apesar dos quilos extras, tem um charme danado que a faz roubar toda a atenção que deveriam estar dispensando a você, claro, porque você sim, é foda e merece olhares e comentários.
E o que você faz quando tem inveja?
Critica.
Critica sem dó. Aponta em público. Julga. Faz comentários cruéis e azedos, fica com raiva da pessoa, afinal, como assim alguém tem a ousadia de ser mais que você, não é mesmo? Ser mais bonita. Ser muito mais bem resolvida com a opção política, com a sexualidade, ter um namorado legal mesmo sendo gordinha, te tratar bem mesmo sem você merecer (afinal, você é uma cobra invejosa), ser franca, ter compaixão pelo próximo, tratar os outros com sentimentos sinceros e te dizer na lata tudo que acha do seu jeito infantil e egoísta, sem perder a ternura.
Critica pra todo mundo ver.
Mas imita escondido.
Escondido, mas imita.
Que nojo.
E é isso.

corta

JUST TO SAY HELLO[arraso muito no inglês]

Votecontá que semana passada meu mundo caiu por instantes e eu realmente achei que ia voltar pra vida de solteira individualista, cruel, debochada, fria, tosca, periguete-axezeira-constantemente-bêbada, descrente de relacionamentos felizes e leais.
O que é a fertilidade da mente humana, não é mesmo, minha gente?
É uma longa história que não, eu não explicarei depois.

Aniversário de Namorado está chegando e eu, claro, estou cheia de planos ardilosos que estão sendo colocados em prática cuidadosamente, pra garantir que tudo saia bem lindo, cheiroso e crocante antes que eu quebre o pé pulando na cama elástica. De novo.
Fotos available soon.
Ou não.
Tem até um cronograma (o.O) dos projetos e prazos para entrega até a data do aniversário. Como eu sou chique e finjo que sou organizada. ¬¬

Em Brasília tem feito um calor do cão, trinta e dois graus, meu povo, é coisa pra se ver nos termômetros das cidades do nordeste nas matérias do jornal nacional e não aqui, me abafando no meu carro escuro num trânsito que só Deus pra dar jeito, fala sério.
Fritei.

Finalmente a minha promoção por merecimento com menção honrosa no trabalho saiu e eu, em vez de colocar as contas em dia, gastei por conta e resultado: continuo no vermelho.
Como eu sou inteligente, me amo.

Já comentei que eu tenho a manha de trabalhar com gente chata?
Minha cartomante certa vez me disse que eu seria sempre um agente de equilíbrio nas comunidades que eventualmente tivesse inserida, (o que, na minha parca interpretação, inclui meu trabalho) com grande habilidade para sugerir a reflexão aos meus companheiros, sendo uma pessoa de confiança para todos.

Equilíbrio?
Sim, sei.

AQUELE LANCE DE DIETA ETERNA

Ultimamente eu tenho comido bastantes alimentos integrais, ricos em fibra, omega 3 e ácido fólico.
Tá certo que meu intestino tem funcionado lindamente, o que nem sempre é apropriado, por assim dizer, já que eu sou uma mocinha e mocinhas são frescas.
*coça o saco e solta um arroto*
A parte boa é o bom humor que isso dá.
E o quanto eu tenho dormido melhor.
E o quanto eu tenho estado bem disposta e tranqüila e o quanto eu tenho conseguido me lembrar das coisas.
E a minha pele então, um espetáculo!
Se bem que a pele boa, dizem, é conseqüência de sexualidade atualizada, o que faz certo sentido.
Aliás, quando a sua vida sexual, caro leitor amigo, está em dia, você fica bem humorado, dorme bem e vê tudo rosa e florido.
*pensa, pensa, pensa*
Isso me faz chegar a conclusão de que eu não precisaria estar comendo esse alpiste sem gosto e difícil de mastigar.
Me sinto uma canária.
*mastiga barra de cereal light*

MAZELAS FERIADÍSTICAS

Então, Brasil, eu juro que nunca mais bebo.
Ok, não posso jurar isso.
Juro então que sempre terei remédios pra dor de cabeça e tapa-olhos em casa, porque a fotofobia que a ressaca dá, ninguém, eu repito, ninguém merece.
Queria saber, sinceramente, porque é só aparecer um copo de cerveja na minha frente que eu esqueço rapidinho o quanto a ressaca castiga impiedosamente o meu ser.
Meu fígado pediu arrego a noite inteira, na forma de vômito.
Quando meu pai perguntou eu disse que acreditava ser rotavirose.
Ele me olhou com aquela cara de “ser pinguça mudou de nome?”
Momento família, sabe como é.

Pelo milésimo fim-de-semana seguido eu prometo limpar meu carro e pelo milésimo fim-de-semana seguido eu não limpo.
Tanta coisa mais divertida, quentinha, cheirosa e que beija gostoso pra fazer, olhe bem pra minha cara de quem vai largar xamego pra limpar carro.
¬¬

No fim de semana que todos as minhas amigas e todos os amigos do Namorado ficaram solteiros, nós fomos comer fondue e orar para que nossos amigos parem de fazer macumba pro nosso namoro acabar também. Até agora estamos ilesos, mas eu me lembro bem de ele me dizer algo semelhante a “me deixe respirar um pouco, pelamordedeus”, depois de termos passado to-dos-os-di-as do feriado juntinhos-grudadinhos-guti-guti
Porque homens, você sabe, gostam mesmo é da putaria.

* voa o celular de Namorado na minha cabeça *

CHEGOU A HORA

Ok, gente, agora é sério.
No fim do mês é aniversário de Namorado, porque eu sou uma aquariana cercada de librianos por todos os lados.
Pros mais desavisados, ano passado eu quebrei o pé na ocasião e não teve festinha.
* pensamentos jocosos a respeito do que pode significar festinha *
Neste ano, se eu não quebrar o pé, não morrer ou se o mundo não acabar, vai ter.
E eu quero idéias.
Já tenho halls preto, quem dá mais?

EU TENHO MEDO DE ASTROLOGIA ouSAI QUE EU SOU DE AQUÁRIO*

São pessoas que precisam:
Dormir bastante e de vez em quando exercitar-se fisicamente ao ar livre.
(eu sou um ser que dorme e precisa do sol para realização da fotossíntese)
Tempo para expressar suas idéias.
(e gente que entenda isso, se não fico deprimida.)
Equilíbrio entre a atividade social e a solidão.
(a solidão tem a sua beleza, já diria o poeta.)
Liberdade, muita liberdade, mesmo que seja para não fazer nada.
(muita liberdade demais mesmo, se é que você me entende.)

Na pior das hipóteses são:
Obstinadas, perversas, excêntricas, quixotescas, pouco confiáveis, imprevisíveis, rebeldes sem causa, revoltadas, utópicas, paradoxais, mentirosas.
(Nossa, que má que eu sou.)

Quando agem são:
de fortes princípios, humanistas, democráticas. Se mostram sutis e agem com tato, sem no entanto deixar de ser firmes naquilo que desejam realizar. Procuram ouvir bastante antes de agir. São pontuais e cumprem as promessas.
(Pontual é exagero, vai. Um pouco menos atrasada a cada dia, digamos assim.)

Gostam de:
engenhocas, novidades, livros, música, experiências novas, viajar, andar à esmo, partilhar seus interesses com outras pessoas, conversar. Apreciam a igualdade de direitos.
(Eu só gosto de engenhocas quando têm manual de instrução. E só ando a esmo quando não estou com preguiça ou seja: nunca.)

Socialmente são:
populares, cosmopolitas, se misturam facilmente com qualquer tipo de pessoas mas guardam sempre suas peculiaridades, dificilmente permitem a entrada de estranhos na vida íntima. São gentis e fiéis.
(resumindo: eu sou muito legal e as pessoas me adoram. Eu tô de parabéns.)

Na melhor das hipóteses são:
amigáveis, autênticas, disponíveis, justas, equânimes, racionais, tranqüilas, perceptivas, originais, sutis, espirituosas, de grande e rápida assimilação de tudo o que acontece, inovadoras.
(Nossa, que fofuda que eu sou.)

Detestam:
brigas, que invadam os limites da intimidade, corrupção, exploração, ambigüidade, pessoas afetadas, comportamento autoritário, sentir-se entre a espada e a parede, gritaria, pessoas inflexíveis ou extremamente conservadoras.
(Ai, como eu ODEIO gente inflexível! Como eu odeio gente fofocando da minha vida e falando de mim pelas costas! Como eu odeio gente tentando mandar em mim! Como eu odeio gente de cabeça fechada! Como eu odeio esse mundo! *corta os pulsos*)

No amor são:
procuram o encontro de idéias para sentir-se excitadas.
(aquela chatona fresca)
Tendem a ser leais quando amam, mas são capazes de protelar por muito tempo o casamento, porque preferem a liberdade.
(Tendem? Como assim, Bial?)
São pudicas, (ou não) mas esperam superar essa situação, que intimamente consideram um defeito.
Gostam de aventuras.
(Ou não.)

As mulheres:
parecem ter todas as qualidades que um homem desejaria, são encantadoras, intuitivas, inteligentes, sabem conversar de tudo um pouco, são originais, emocional e sexualmente generosas.
(O que viria a ser sexualmente generosa?)
Desejam a igualdade, porque não consideram que haja real diferença por causa do sexo, e esperam ser tratadas com todos os direitos que merecem.
Há versões deste signo que são muito sossegadas, e outras, completamente tresloucadas.
(Eu sou sossegadona. *gargalhada irônica ao fundo*)
Evitam o casamento, preferindo viver como boas companheiras.
(e ao fim da vida reclamar que ficou pra titia.)
São fiéis, mas se por acaso pintar alguma aventura que considerem desafio à altura delas, não hesitarão em lançar-se nessa direção.
(Tipo: prefiro não comentar.)

*Retirado daqui.

MAS ISSO JÁ NÃO É UM TÍTULO?

Votecontá que no curso a gente assistiu Sociedade dos Poetas Mortos.
O filme é foda, só digo isso. Até pedras chorariam vendo aquele filme.
Acompanha meu raciocínio: se até pedras chorariam vendo o filme, advinha o que aconteceu com a minha dileta pessoa?
Acertou quem disse se desmanchou em lágrimas até o catarro escorrer, tornando-se uma grande poça de kríscia no canto da sala.
Coisa linda de se ver.
Até minha chefe ficou sabendo do papelão e disse que só pela minha grande sentimentalidade, iria me promover.
Quem se lembra de eu ter dito que a partir de setembro eu trabalharia ½ período tendo tempo para malhação, sol e massagem estética?
Então.
Pode esquecer.
A partir de amanhã eu volto a trabalhar 12h sem sair de cima.
E ganhar pra isso.
*barulhinho de caixa registradora*

JUST TO SAY HELLO

Essa semana eu estou num curso sobre abordagens pedagógicas no universo e nem se eu tivesse fumado um charuto de skank teria curtido onda semelhante.
Tava tudo caminhando lindamente e eu seria eleita com certeza a garota mais legal-gatinha-pegável-a-valer do evento (¬¬), se não fosse meu grande talento para pagar micos na frente de desconhecidos.
Explico: o instrutor perguntou quem ali já tinha estudado latim e só a anta-manca aqui levantou a mão.
E é claro que agora sou a excluída da turma, como aquela garotinha do pré-primário que era isolada dos coleguinhas porque tinha piolho.

Depois reclamam que eu sou anti-social.

%d blogueiros gostam disto: