MAZELAS FERIADÍSTICAS

por Kritz

Então, Brasil, eu juro que nunca mais bebo.
Ok, não posso jurar isso.
Juro então que sempre terei remédios pra dor de cabeça e tapa-olhos em casa, porque a fotofobia que a ressaca dá, ninguém, eu repito, ninguém merece.
Queria saber, sinceramente, porque é só aparecer um copo de cerveja na minha frente que eu esqueço rapidinho o quanto a ressaca castiga impiedosamente o meu ser.
Meu fígado pediu arrego a noite inteira, na forma de vômito.
Quando meu pai perguntou eu disse que acreditava ser rotavirose.
Ele me olhou com aquela cara de “ser pinguça mudou de nome?”
Momento família, sabe como é.

Pelo milésimo fim-de-semana seguido eu prometo limpar meu carro e pelo milésimo fim-de-semana seguido eu não limpo.
Tanta coisa mais divertida, quentinha, cheirosa e que beija gostoso pra fazer, olhe bem pra minha cara de quem vai largar xamego pra limpar carro.
¬¬

No fim de semana que todos as minhas amigas e todos os amigos do Namorado ficaram solteiros, nós fomos comer fondue e orar para que nossos amigos parem de fazer macumba pro nosso namoro acabar também. Até agora estamos ilesos, mas eu me lembro bem de ele me dizer algo semelhante a “me deixe respirar um pouco, pelamordedeus”, depois de termos passado to-dos-os-di-as do feriado juntinhos-grudadinhos-guti-guti
Porque homens, você sabe, gostam mesmo é da putaria.

* voa o celular de Namorado na minha cabeça *

Anúncios