SOBRE DECORAÇÃO E VIZINHANÇA*

por Kritz

Eu sempre sonhei com uma cozinha que tivesse vaquinhas como tema. Sim, vaquinhas. Aquelas vaquinhas malhadas de preto e branco, sentadinhas no balcão.

mooooooow!
Mas também queria meu pingüim de geladeira, o que poderia gerar um certo choque de raças na minha cozinha.

Cocorocóóóóó! (Sei lá que bagaça de barulho faz um pinguim, minha gente!)

E na minha casa quero paz, ou seja: nada de vacas nem de pingüins.
Por falar em paz, minha vizinha tem um bebê recém-nascido, o que quer dizer que qualquer noitada na minha casa, com meus amigos tomando tequila e cantando “vou chorar” no videokê, só poderão acontecer daqui uns 15 ou 16 anos, que é o tempo que eu preciso pra que o bebê cresça e possa ser convidado pras festinhas e não venha me encher o saco com o barulho.
Que será intenso, só digo isso.
Ainda bem que a minha cama caríssima e fina não faz barulho nenhum, porque classe é o meu nome.
Quero ver Namorado quebrar essa.
No mais, a reunião de condomínio parecia um baile da 3ª idade do Previ, eu nunca pensei que uma reunião de condomínio poderia ser tão divertida.
Mesmo porque eu adoro velhinhos e adoro vê-los tê-los insights em slowmotion é muito legal.
O problema será tê-los na minha casa cantando Waldick Soriano no MEU videokê, junto com meu pai, que ama (eu disse AMA) Waldick Soriano, quando o furdunço rolar. É a fina flor do brega, meu povo, coisa linda de se ver.
¬¬
É claro que convidar os velhinhos vizinhos pra barulheira é tática pra eles me achem simpática por fazer o convite, e não tenham coragem de reclamar do Bonde do Tigrão tocando às 4h30 da madrugada.
Sou muito esperta, me amo.

* as fotos não são minhas, foram retiradas do google, de forma aleatória.

Anúncios