Tá Pensando o Quê?

Mês: janeiro, 2007

DA SÉRIE: QUERIDO DIÁRIO

Hoje, indo a pé pro restaurante almoçar, todos os homens com os quais cruzei mexeram comigo na rua.
Considerando que eu tava com saia no joelho e blusa comportada, cabelo amarrado em coque e cara de quem ficou acordada ate 2h da madrugada tomando vinho e vendo amigos nus em casa, é obvio que eu fiquei toda felizinha me achando a Mariana do BBB.
Foi quando eu vi que se tratava dos peões da obra do prédio da frente.
Até agora to aqui pensando se isso é bom ou ruim.
Não que eles não fossem assobiar pra Mariana do BBB, mas eles assobiariam também pra certo tipo de coisa mulher que, se batida no liquidificador com farinha e água viraria um belo bolo de merda.
Seria eu um grande bolo fecal?
Estou muito preocupada com esse episódio, será que estou um caial e ninguém me avisou?
Jesus, preciso de terapia.

Anúncios

A INVEJA É A ARMA DO POBRE

Como vocês já devem ter ficado sabendo, não fui eu a ganhadora solitária do prêmio de 50 milhões da mega-sena.
Na verdade eu tenho muita pena do coitado que ganhou, porque nesse momento ele está mortinho, após ter sofrido combustão espontânea desencadeada pela minha grande e poderosa inveja.
Enfim, ainda tem um ano inteirinho pra eu cumprir esse item da minha lista de metas pra 2007 e eu não desistirei, vou jogar os mesmos números pelo resto do ano, até acertar. Ou então até esquecer os números. Ou então até perder o caderno no qual anotei os números sagrados recebidos num insight quase psicográfico.
Sugiro que você nem jogue porque, caso ganhe, vai cair mortinho também. Cair mortinho e frito, pra ser mais precisa, já que estou desejando com toda minha força que caia um raio na cabeça do próximo que se atrever a ganhar um dinheiro que é reconhecidamente meu, conforme já divulgado neste blog.
Depois não diga que eu não avisei.

COISAS QUE EU ODEIO*

gente que acusa gente ausente
esse é meu ódio principal. Porque eu acho que as pessoas têm os motivos delas pra agir como agem, falar o que falam, pensar o que pensam, concorde você ou não. Então ficar falando de algo que alguém fez sem que ela esteja presente pra se explicar e/ou defender não me parece muito justo, nem muito respeitoso. Isso é coisa de pessoas que se acham perfeitas. E se achar perfeito nesse mundo é coisa muito feia, harám muito grande.

competir
não gosto de nada que envolva perdedores. Qualquer joguinho me incomoda o espírito em doses altas e difíceis de explicar, mesmo que seja uma partida despretensiosa de baralho, dama, vôlei ou boliche com os amigos. Acho que em alguma encarnação passada eu fui viciada em jogo e meu espírito só tem mais essa vida pra se redimir. Não jogo.

pressa
não gosto de pressa, não gosto de ter pressa, não gosto quando as pessoas me apressam, não gosto de pessoas apressadas. Se vai dar tudo certo, pra que pressa? Se vai dar tudo errado, pra que pressa?

brincadeira idiota
tipo enfiar moedinha no meu cofrinho (você entendeu), esconder um dos meus sapatos antes de eu ir embora, ficar jogando a minha bolsa de um pro outro pra me fazer de besta. Odeio. Odeio mesmo. Eu acho que as brincadeiras são coisas pra se rir COM alguém e não DE alguém. Pode me chamar de chata, mas durma descansado porque eu NUNCA farei uma idiotice dessas com você.

Segundas-feiras
Depois de um fim-de-semana em que você acordou tarde, comeu coisas gostosas, visitou a família, namorou, tomou banho de chuva passeando de moto (e banho e chocolate quentinhos na seqüência), tem que vir uma segunda-feira pra estragar tudo. Ah, as segundas-feiras, essas filhas-da-puta! Quem precisa de segundas-feiras, me diga, quem precisa?

*Lista feita por medo de pragas dela.

SÓ DEUS SABE O GOSTO DO ALFACE

Agora que a vida tem me obrigado a almoçar sozinha porque ninguém topa os restaurantes-natureba-ovo-lacto-vegetarianos que eu tenho freqüentado ultimamente, aproveito o tempo livre do horário do almoço pra fuçar roupas e livros nas lojas perto do trabalho.
Hoje eu vi uma calça da vitrine – estou muito precisada de roupas novas para minha nova fase garota-fitness-wannabe ? e entrei na loja

– Vou pegar uma pra você experimentar, que número você veste?

Ah, minha senhora, lá vem você com a pergunta de um milhão de dólares…

– Acho que a 40 serve.
– O que? Você? 40? Com esse corpo? Jamais! É 38, aposto. Vou buscar.

Meu próximo salário eu gastarei absolutamente todo nessa loja, só pra retribuir a mentira gentileza da vendedora.

2007 FOCADO

Um dia desses fui ler a minha lista de coisas a serem feitas em 2006.
Caralhos, não cumpri nada.
Pra esse ano pretendo fazer uma lista de metas mais realistas, pra funcionar como estímulo e ao final do ano eu não ficar me sentido tão fracassada.
Senão, vejamos.
Pra 2007 eu quero vou:

ganhar na mega-sena
Nem adianta jogar na mega-sena enquanto eu não ganhar, sonhadores tolos. Essa barbada é minha e ponto final, desistam.

perder 6 quilos
Pra quem precisava perder 3 arrobas e meia e conseguiu, 6 quilos não assusta tanto nem parece impossível, vâmo combiná.

fazer atividade física pelo menos três vezes por semana
Sexo conta?

cumprir o Evangelho no Lar ou alguma meditação que o valha
Porque eu não sou daqui e preciso não me esquecer a que vim.

ficar noiva
Ai, sou tão chique. Tenham inveja, eu entenderei.

começar o curso de pós-graduação
E rezar pra nossa senhora das câmeras escondidas pra que não tenha aula nas terças-feiras, se não eu perderei os paredões do big brother. Ou as aulas de terça, o que é mais provável. Eu sou da massa, do povão, eô, vida de gado, não tem jeito, gosto de tudo que todo mundo gosta: micareta, procissão, big brother e por aí vai.

comprar uma mesa
Na verdade eu comprarei todas as mesas do mundo com os milhões de dinheiros que a mega-sena me proporcionará. Isso vale também pra tábua de passar roupa da qual eu também estou muito precisada.

criar coragem pra ligar o forno do fogão sozinha
Não ria, eu tenho medo. De tomar uma baforada na cara e perder os cílios e sobrancelhas, ou daquilo tudo explodir.

criar coragem pra subir escadas, banquinhos e afins
Não subo nem que a vaca voe de tamanco laranja. Medo, muito medo, acho que é algum trauma de infância, eu tenho muita mania de prever todas as possibilidades e uma delas é cair e me estabacar, possibilidade mais provável dentre tantas aliás, porque vocês sabem, Murphy é meu carma.

aprender a mijar fazer xixi agachada
Naquelas situações emergenciais nas quais eu desejo do fundo do meu coração ser homem, não consigo agachar o quanto deveria e sempre mijo meu pé todo. Humilhante.

DA SÉRIE: PEQUENA NOTA MENTAL

Casamento não é nada dessas coisas ruins que o povo diz por aí e você sabe, eu mesma defendi o não-casamento por anos a fio, e via meu pai desesperado ao me ouvir dizer que o máximo que eu faria era ter um filho nos moldes da produção independente.
Mas o casamento salva, Brasil.
Por exemplo, quando eu estou cansada de um dia estafante – porque sou uma mulher moderna e mulheres modernas são ricas e estressadas, o que comprova que deve ter alguma mulher por aí que está rica e rica e me deixou a parte estressada dela, mas enfim, esse é outro assunto – seu marido te leva pra passear e escolher alianças do jeito que você quer. Depois você toma vinho, come pizza e se lança no chocolate da kopenhagen e vê o quanto os solteiros convictos ou as guerreiras pegadoras estão out das coisas REALMENTE boas da vida.
Além disso, seu esmalte da manicure-careira-do-bairro-nobre-pro-qual-você-se-mudou vai durar muito mais porque sim, é seu marido quem lava a louça, toda a louça, de todos os dias, é como se a pia lá de casa fosse mágica e tragasse toda a louça suja e depois cuspisse tudo de volta, limpinha e coisa e tal.
E tem outras coisas interessantes que eu não vou ficar aqui enumerando porque não sou tatu de fazer propaganda pra concorrência, com todo respeito às minhas leitoras. E leitores também, né, vai saber, esse blog defende a diversidade.
Se você quer uma vida feliz cheia de sensações boas, se case, se case mesmo, se case muito, se case todos os dias com a mesma pessoa pra sempre na sua vida.
Só digo isso.

%d blogueiros gostam disto: