O PROBLEMA*

por Kritz

*post longo pra cacete.

Eu tenho um grande problema na minha vida. E olha que não falo das celulites que, de fato são um problemão, mas foda-se, eu não tenho olho atrás pra ficar vendo e sofrendo, então, o máximo que posso fazer é transar de luzes apagadas, o que não é nada assim muito meigo de se falar já que tenho um Namorado Noivo que lê isto aqui, outra coisa que já se foi problema em outros tempos mas pro que hoje eu não dou a mínima.

Promente usar o photoshop?

Pois bem.
O problema é que as pessoas me contam as coisas. Me contam muitas. Não todas, porque ninguém consegue contar todas as coisas do mundo pra uma pessoa só (no caso eu), mas o fato é que elas me contam coisas. E as outras pessoas me contam outras coisas que combinam com as primeiras coisas e as conexões ficam se montando na minha cabeça e eu acabo vendo tudo de fora com uma visão muito mais completa, interessante e perigosa do que as pessoas que, separadamente, me contam coisas.
Isso faz com que eu tenha sugestões de soluções práticas interessantes pra maioria dos problemas ou dores que as pessoas dividem comigo. Tudo surge assim no plim, como um daqueles insights que só um bom beque é capaz de proporcionar.
Quando eu tento conversar sobre isso com gente que eu acho que entende um pouco, tipo Namorado Noivo, ele acha que é só a minha nonagésima quarta crise existencial do ano, me faz um dengo e fica achando que o que eu preciso é de uma boa noite de sexo.
Então eu falo pra ele que se ele quer sexo, ele que vá providenciar dinheiro pro meu tratamento pra celulites! viro pro lado emburrada e durmo.
E eis aí um outro problema grave que eu tenho e que a vida conjugal tem tornado mais pungente: eu durmo quando estou brava.
Pro leitor mais desavisado pode parecer que eu tô nem aí pra briga ou pro clima pesadão pós-briga, mas não é isso, incauto, o problema é que a raiva me dá sono. Eu preciso dormir pra que ela passe.
É o tipo de coisa muito simples de se provar, por exemplo: se você está feliz, passa a noite na rua, enche a cloaca de cachaça da mais vagabunda e é capaz de virar três dias seguidos pulando de nights-pegação para churrascos-baixaria sem nenhum problema ou sintoma grave de cansaço e, claro, sono.
Mas veja bem, por outro lado, se você está com raiva (e a raiva é o sentimento da família da tristeza, ou da braveza, ou do ódio, ou das tendências homicido-suicidas, enfim) não tem boate ou boteco com as amigas que te anime. Se você insiste em sair só pra não fazer desfeita, adivinha: antes da meia-noite tu já ta caindo de sono. Por que? Porque raiva dá sono, c.q.d.
Outro problema é que tenho um pensamento completamente não-linear e pra alguém entender o que eu penso, só com muita maconha na mente.
E por isso ninguém quer ser meu amigo.
bora fumá um? Beijomeliga
Anúncios