Tá Pensando o Quê?

Mês: junho, 2007

É DURO ACREDITAR NESSAS COISAS

Eu tenho uma pinta aqui perto do nariz, tipo a da Madonna, que eu pedi pra uma estrela cadente quando eu tinha uns 6 anos, bem na época em que eu me alimentava de dados do jogo de ludo.
Um dia desses eu vi na janela da minha casa uma estrela cadente e fiquei pensando num pedido, num pedido, num pedido e plim, pensei na Ana Tereza, minha filha que está lá no céu das filhas fofas, esperando o dia de vir pra minha barriga.
Fiquei desesperada porque eu sei que as estrelas cadentes me atendem e, nunca pensei que diria isso, agora eu tenho um baita problema.
A conta é simples: um pacote de fraldas descartáveis custa uns 15 reais e cada fralda vai demorar 300 anos pra se decompor na natureza. Calculando por cima, eu gastarei uns 2 mil reais por ano SOMENTE com fralda descartável e, só de pensar no cheiro de cocô de neném que habitará o mundo pelos próximos 300 anos fico numa vontade de vomitar que não passa.
Desde então eu tô rezando muito pra que aquele vulto de luz tenha sido um óvni aterrisando, um avião caindo, um sintoma de catarata, qualquer coisa, menos uma estrela-cadente.

INCLUSÃO

Eu trabalho numa empresa socialmente responsável que defende a inclusão de quem está fora de alguma coisa que juntando tudo vira a sociedade.
Algo assim.
E também por isso tem no nosso site um dicionário de libras, a língua brasileira de sinais, essa coisa interessante que os surdos-mudos falam (?) e que poderiam utilizar pra planejar a 3ª guerra mundial que ninguém ficaria sabendo.
Mas eu dizia que no site da empresa tem um dicionário de libras. Com isso, eu tive a brilhante idéia de monitorar as buscas mais freqüentes, pra depois a gente montar uma cartilha com as palavras mais procuradas, fazermos um dinâmica, uma gincana, uma festa de fim de ano com dinheiro público, coisas dessas que só quem é concursado do governo sabe do que se trata.
Hoje chegou o primeiro relatório, das 10 mais:

– em, de, dos, no, nas (preposições de forma geral)
– foder;
– tomar;
– cu
– filho;
– puta;
– vai; ir;
– nome da empresa

Realizei a cartilha que seria produto das buscas bizarras e desisti da idéia.
Tá doido.

O EXCEL DO MEU WINDOWS

Não sei quanto à você, mas eu acho que essa sensação de que parece ter passado muito mais tempo (do que os 2 anos que de fato se passaram) é um bom sinal. A convivência com você é o tipo de coisa que me faz ter certeza de que não importa quão ruim tenha sido meu dia, quão foda seja minha dor de cabeça, quão chato seja ter um chefe gago, eu vou voltar pra casa e que, deitando na cama e te abraçando* gostoso tudo estará melhor.
Mentira, a gagueira do meu chefe nunca passará, é meu carma.
Tá, às vezes eu preciso/quero dormir e tô muito chata, mas mesmo assim voltar pra casa e ver você me faz muito bem, me faz mais bem a cada dia.
Eu sei que você tem paciência comigo e, acredite, eu também tenho muita paciência com você.
Eu te amo por isso!
Obrigada por tantas coisas que eu nem sei que você faz por mim (mas eu sei que você faz) e por toda a postura que você adota e sempre adotou em relação a mim e à minha existência na sua vida.
Eu te amo também por isso!
Obrigada também por despertar de forma muito natural o que há de melhor em mim. Acredite, você desperta. Nunca me senti tão pronta pra vida e com tanta coragem pra tudo. Tão responsável e com meu nível de envolvimento pelas coisas tão em alta.
Não estou mais só e nunca pensei que essa sensação fosse tão acalantadora. Se eu tivesse imaginado teria te dado mole logo no primeiro dia, transado com você na primeira noite e engravidado de propósito, pra garantir se não a sua presença constante comigo, pelo menos uma pensão gorda pra Ana Tereza**, o mito. Vâmo ter um neném?
Eu te amo também por isso!
Não sou trouxa de ficar fazendo propaganda, mas veja só o meu caso: eu sei que tem felicidade que uma pessoa só experimenta quando encontra seu par e resolve topar tudo com ela.
É claro que eu poderia falar do seu cheiro, sorriso, charme e da pegada que puta-que-pariu, mas mesmo pensando que o tempo e a idade podem levar embora a virilidade, juventude e beleza, me vejo ali, velhinha cheia de botox e lipoaspiração ao seu lado, colocando os netos pra dormir no sábado à noite e reclamando da programação do Zorra Total (que é ruim demais, mas duvido que saia do ar nos próximos 20 anos) quando nossos filhos forem pra farra, coisa e tal.
Porque o que me faz te amar não é você ser assim lindo, sinceramente não é. O que me faz te amar é eu confiar plenamente na pessoa que você é e, claro, adorar cada dia mais a pessoa que eu me torno estando ao seu lado. Mesmo.
Claro que eu sei que você pode um dia se desapaixonar e querer uma loira-perua-gostosa que não tenha nenhuma crise existencial nem leia Freud e te ponha maluco, mas eu realmente acredito que, se um dia isso acontecer, eu não serei a última a saber.
E eu acho que esse é o ponto que faz com que a minha relação com você seja, de fato, muito intensa. Todos os dias são dias de luz pra mim, porque eu estou ao seu lado. Porque eu estou DE FATO ao seu lado, por inteiro. E creio do profundo do meu ser que você também esteja totalmente aqui.
Creio em extra-terrestres também, já te falei isso, mas não vem ao caso.
Não há nos meus registros tempo mais feliz na minha vida do que o tempo que vivi contigo até hoje.
E é também por isso que eu te amo e quero a eternidade ao seu lado.

*Ok, eu admito: a versão original da carta não sugere um abraço gostoso e sim outra coisa. Bem mais gostosa. Enfim.

**Terei uma filha que se chamará Ana Tereza e será morena e simpática como a mãe. E terá olhos verdes. Meu cachorro se chamará Yast. E nunca entendi porque crianças me remetem imediatamente a cachorros. Enfim.

%d blogueiros gostam disto: