SOBRE A NOIVA – pelo noivo

por Kritz

Ela é a mulher que todo homem pediu a Deus: além de bonita, gente boa e carinhosa, lava uma cueca como ninguém (esta tarefa com menção honrosa, por favor!), uma verdadeira lady.
Completou 27 carnavais no último fevereiro, mas com carinha de 15. O corpinho é de 27, mesmo. Por conta do sol em aquário, é ligada nessas coisas de fogo, de água, terra, no ar, trance, malabares, num universo mais unido, naquela tããããão sonhada sociedade alternativa, sem ódio nem violência, com portas abertas para extra-terrestres e para todo o resto que compõe o transcedental humano, sobre-humano, espiritual, fantasmagórico, essas coisas.
Com o tempo e a convivência, aprendeu que um armário de 6 portas pode ser dividido de uma forma justa (4 pra ela, 2 pra ele). Defende fortemente a luta contra o sistema, esse sistema podre que nos impõe a utilização de roupas cobrindo o corpo material, além de nos obrigar a separar os banheiros em “masculino” e “feminino”, puta frescura sem sentido. Mesmo sendo meio desorganizada, tem aprendido, aos poucos, bem aos poucos mesmo, que toalhas molhadas não secam emboladas em cima da cama.
Já pegou prática em lavar cuecas (esta tarefa com menção honrosa, por favor!) mas costurar meias furadas ainda fere seus princípios básicos, algo como, por exemplo: “Estragou? Joga fora e compra outro”. Quando está na TPM devora todos os doces da casa, chocolates, sorvetes, biscoitos, balas da casa. E não se atreva em contradizê-la, porque aí sim, você passará uma longa noite no sofá. Tem alma bastante hippie, embora precise trabalhar pra pagar seus caprichos, sapatos, roupas, jóias e alguém pra fazer os serviços domésticos, porque lavar cuecas, costurar meias, lavar louça e varrer chão já seria demais! Por esse motivo, quando ela voltar a ter um perfil no orkut, vai criar a comunidade “empregadas domésticas salvam!”. Trata-se de uma verdadeira perua-patricinha que leva espumante pra churrascos.
Todo mundo olha com cara de “que menina fresca”, mas ela tá nem aí, toma espumante de nariz em pé, com a taça que traz de casa, porque espumante em tulipa de cerveja ou copo de plástico definitivamente não é aceitável, em nenhuma hipótese. Por isso mesmo, muitas vezes ela toma espumante no gargalo, pra que a bebida não perca o gás nem fique com o sabor prejudicado. Veio de outro planeta e sonha com o dia de poder voltar, mas só depois que vier Ana Tereza, que será gentil, simpática, fofuda, inteligente, apreciadora das letras, artes e MPB alternativa, como a mãe.
E Ana Tereza só virá quando o casal tiver uma casa na qual caiba um berço.
Pelo menos.
Anúncios