Pílulas

por Kritz

Vamos pular a parte ‘deixei o blogspot e vim pra cá sem lenço e sem documento’, ou a parte de explicar porque parei de escrever por uns tempos. Ok? Obrigada.

No mês que vem faço 1 ano de casada. O tempo passa, o tempo voa e como eu sou uma quase sobrevivente dos primeiros 365 dias, logo logo escaparei das estatísticas.
Sim, das estatíitiscas, caro leitor amigo. Porque a maioria dos casamentos modernos não têm sobrevivido ao estágio probatório. Completamente compreensível, quem é casado sabe do que eu tô falando. Quem não é deveria me ouvir.

No feriado de 12 de outubro vai rolar um encontro com a minha turma do colegial, 10 anos depois da nossa formatura de high school. Fico pensando se as pessoas arrumaram empregos, tiveram filhos, ficaram carecas, engordaram, gostam da sogra. Porque eu mesma tô tão diferente que receio não ser reconhecida.

Eu passei 10 dias no México em lua de mel, onde comi o melhor guacamole de todos os tempos. Não vi nenhum, nenhunzinho abacateiro. O abacate é importado dos EE.UU, será?
Que medo do mundo globalizado.

Ainda não terminei minha pós-graduação, mas quando eu terminar, vou pra Disney e Nova Iorque. Com o dólar pela hora da morte. Não fiquei rica, muito ao contrário. Vou num esquema nova iorque pra mãos de vaca, coisa e tal. Pra aprender como ricos se comportam, se vestem, o que comem. Porque na volta, vou ficar rica, tá decidido, preciso ficar rica com urgência. Anotem aí e me lembrem de dar notícias sobre isso. Se eu sumir, já sabe.

Anúncios