se comporte ou lanço-lhe um tersol

por Kritz

Quem me conhece sabe que tenho uma certa dose de hurry up na veia de vez em quando. Picos de agonia para resolver tudo. E como eu soube que estava grávida na sexta-feira por minha própria conta, não tinha médica marcada pra ir lá pedir exames nem resolver a lista de dúvidas que já está pronta, desde o dia em que a menstruação atrasou. Eu sei que vocês vão achar que eu tô brincando, mas não tô. Vou providenciar um scanner e coloco a lista aqui pra provar que tô falando a verdade. Porque eu só falo a verdade e este blog aqui é um lugar sério.
Então, como não tinha médica marcada, eu tive uma idéia genial: ir na emergência e pedir todos os exames, pra dar o tal hurry up no processo. Fui num hospital fodão aqui de Brasília, esperei horas a fio enquanto lia revistas e, quando chegou minha hora de ser atendida, a mula de pantufa da ginecologista disse que não, não poderia providenciar pedidos de exames pra mim, porque aquilo era uma emergência e não seria ela a acompanhar meu pré-natal. Simples assim.
Naquele instante eu visualizei ela trabalhando num almoxarifado, ou num estoque de supermercado. Porque eu acho que ela fez o curso errado. Ou então ensinaram a ela, no curso de medicina, a não ligar para as angústias das pacientes. A tratar gente como caixas a serem empilhadas. Você, colega médica que lê este blog, me responda: ela simplesmente preencher uma requisição de ecografia, receitar ácido fólico, exame de sangue, fezes, urina pra detectar doenças e vacinas, seria, assim, tão trabalhoso? Ou é proibido fazer esse tipo de coisa pelos pacientes, só porque eles recorreram à emergência? Enfim. Vamos aguardar o belo tersol que nascerá nos dois olhos dela. Porque vocês sabem, né? Contrariar grávida: tersol na certa. E parece que leite materno é bom pra tersol, enfim. É tipo aquele lance da cobra: com o próprio veneno é produzido o antídoto. Ainda bem que ainda não tenho leite. Porque se ela dependesse do meu leite pra se curar do tersol, iiiiih… Tava lascada.

Anúncios