quer conversar? vai na Hebe

por Kritz

Então que chegou o dia, né? Eu estava devidamente ornada com minha bata de mulé grávida convicta e cheia de si e fui no mercado, comprar legumes sem agrotóxico, porque tinha recebido meu tiquete-alimentação.
Comprei tudo na rapidez que meu horário de almoço no trabalho exige e me dirigi bela e garbosa para o caixa preferencial, aquele meu direito constitucional já mencionado neste blog.
Mas Brasil, eu vou abrir meu coração pra vocês: aquela fila é também para idosos e idosos dão muito trabalho.
Amo vôs e vós, ok? São figuras fofas, cheias de melancolia e saudade, adoro conversa de velhinho. E eles conversam muito, né? Porque eles já entederam o verdadeiro sentido da vida e sacaram que ter pressa é coisa de trouxa. No caso, coisa da gente. Você e eu, trouxas que somos. E eles são simpáticos, normalmente. Ou reclamões. E tanto os simpáticos quando os reclamões falam pra dedéu. E falam com os carinhas do caixa por horas e horas e horas. Enquanto você está lá, na fila, prenha (com um bucho pequeno, mas todo bucho enorme passa pela etapa do bucho pequeno e eu só estava exercendo meu direito constitucional de usufruir de filas preferenciais, ok?) esperando sua vez de ser atendida, sorrindo amarelo pro vovô conversador.
Então, vou mandar a dicazinha pra você que quer engravidar qualquer dia desses: a fila preferencial não é lá tudo isso quando o quesito é rapidez e agilidade. E você, que vai chegar na melhor idade todo tranquilão, indo passear no mercado e bater papo com os caixas, sugestão: chama a caixa pra tomar uma cerveja e bater um papo, gente!

Anúncios