exposição de motivos

Não tenho a menor idéia sobre o que escrever, mas preciso, sinto falta, morrerei de inanição. Um bom jeito de retomar é sempre dizer o porquê da pausa. Eu acho.

Depois que eu criei meu perfil no twitter, fiquei me perguntando pra que manter o blog. Depois que o facebook virou meu amigo e aprendi a escrever , fiquei me perguntando pra que twitter. E foi assim que o blog ficou esquecido.
Nunca na vida terei coragem de deletá-lo, minhas histórias estão aqui causando confusão na minha vida desde 2005, mas a verdade é que faltou tempo e senso de prioridade, etc, etc, etc.
Outro problema é eu não saber lidar com os leitores. Sempre que encontro alguém na rua que comenta daqui, fico com vergonha. Um paradoxo do nosso tempo, já que eu criei o blog porque quis e escrevo tudo que escrevo por livre e espontânea vontade. Pra vocês terem uma idéia, tem uma menina que lê o blog e que malha na mesma academia que eu. Um dia ela me reconheceu e desde então eu mudei meu horário, por puro constrangimento (blog perdendo uma leitora em 3,2,1…) Ao mesmo tempo tem gente que se mudou pro meu coração e que eu só conheci por causa do blog, o que, obviamente, está longe de significar que sou blogueira celebridade famosa. Não sou. Sou normal, (não riam!) só tenho um blog na internet, coisa mais comum do mundo nos dias de hoje. Até ultrapassada, avaliando friamente.
Eu nunca quis que meus textos fossem chatos. Nem legais. Eu só queria escrever. Escrevi muita coisa legal, escrevi muita coisa chata. A necessidade que eu tenho de escrever sempre andou muito próxima da minha sensação de que escrever é fácil. É só falar o que eu tô sentindo e pensando enquanto me sacaneio por ser neurótica e voalá, surge um texto.
Depois que meu filho veio ao mundo, eu passei um tempo só pensando em bebês, falando de desenvolvimento e crescimento e educação e birras de bebês e tendo crises psicóticas por causa disso. E sobre isso eu não queria escrever no blog, simplesmente porque esse não é um blog sobre maternidade.

Pois bem. Fiz pequenas modificações na template, só o basicão mesmo porque HTML is not my friend (arraso no inglês). Rolando a barra até o final vocês vão poder clicar num botãozinho que promete enviar, pro seu email, as atualizações. Não testei, nem sei muito bem como funciona. Se alguém clicar me avisa, pra eu ver se dá certo.
Lá embaixo estão também os famigerados arquivos, pra vocês irem lendo enquanto os textos novos não aparecem.

Mas esse blog é sobre o quê, afinal?
Nunca saberei responder. até lermos todos os arquivos e chegarmos à conclusão de que este blog não é sobre nada importante.

Anúncios